De_Patrícia Ribeiro e Silva.

O PODER DE GRAYSKULL

Neste castelo... os sapatos ficam à porta.

Videogravador: Ensaio Sobre A Cegueira por Fernando Meirelles

Loading...

18.4.08

Arrumei as malinhas e pirei-me.

Como quem não quer a coisa, agora estou aqui.
.........................................................
..................................................
............................
...............

11.4.08

The Clinton - Colombia Connection.

Apostas contemporâneas.

100g de morango.
50g de framboesa.
2 colheres de chá de açucar integral de cana.
3 colheres de chá de coco ralado.
De comer e chorar por mais.

The Knife's para Jose ...



Heartbeats. De The Knife's para José Gonzaléz.

Por ti.


Hei-de gritar em silêncio até ao fim dos meus dias.

10.4.08

Palavras que gosto (3)

Shallow - adj.; Middle English schalowe; probably akin to Old English sceald shallow; 14th century; 1: having little depth <shallow water>2: having little extension inward or backward <office buildings have taken the form of shallow slabs> 3a: penetrating only the easily or quickly perceived <shallow generalizations> 3b: lacking in depth of knowledge, thought, or feeling <a shallow demagogue>4: displacing comparatively little air : weak <shallow breathing>.

Massive para Jose ...



Teardrop. De Massive Attack para José Gonzaléz.

Era gigante.


«E isso ainda te vai acontecer muitas vezes», disse-me, sem ver a nuvem que logo a seguir me engoliu. António Almada Guerra in Cálssio

Cuidado.



O António é uma metralhadora.
Se nos distraímos,
ele dispara ao peito.

Sem piedade de nós.



9.4.08

És.

Edward Hooper's Morning Sun (1952)


A lente que me permite ver o mundo sem rasuras.

Coisas que interessam mesmo.


Levo... ou deixo?

Conta-se que Bocage, ao chegar a casa certo dia, ouviu um barulho estranho vindo do quintal. Chegando lá, constatou que um ladrão tentava levar os seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com os seus amados patos, disse-lhe:
- Oh, bucéfalo anácrono! Não te interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo acto vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo... mas se é para zombares da minha elevada prosopopeia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com a minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência que o vulgo denomina nada.
E o ladrão, confuso, respondeu:
- Doutor, afinal levo ou deixo os patos?

HOT Hot Spot.

É escrito por gente amiga, mas não é propriamente por isso que o HOT SPOT tem destaque aqui no Poder de Grayskull. A razão é simples: as coisas boas passam definitivamente por este cantinho virtual na blogoesfera plantado. O HOT SPOT é: Interessante. Trendy. Cool. Muito cool. Útil, intelectual, cultural. Vasto. Hot Hot Hot. Sobre música, livros, cinema, lifestlye e tecnologia. Apresentado pela Sónia Balacó, este programa está disponível na plataforma móvel da RTP e passa, sempre à hora certa, no You Tube. Acrescentamos que só ficávamos ainda mais contentes se fizesse parte da grelha fixa da RTP2. Mas isso é lá com os senhores da 5 Outubro. Venham mais hots é a única coisa que vos posso dizer.





8.4.08

Palavras que gosto (2).

Cerzir, v. t. (do Lat. sarcire). 1. Coser, emendar de forma tão cuidada que não se note a costura. 2. P. ext. Unir; Juntar.

7.4.08

Menina-orfã-humana


Naquele fim de tarde o Bosque reunira inteiro. A notável assembleia de Acácias, Cedros e Pinheiros ponderava, em samaritano segredo, adoptar Alice. A rebelde fedelha causara já demasiados estragos. Ignorá-la deixara de ser possível. Mais por prudência que generosidade, uma parte substantiva da floresta queria-a inter pares. Outra parte, bem menos expressiva mas igualmente importante, conspirava, ininterruptamente e há vários dias contra si. A curiosidade desenfreada da menina-orfã-humana era intolerável para muitos dos presentes. Já que a liberdade tem o dom de acossar as sombras.

Posto isto, ninguém estranhou ao saber-se que a grande família dos Hibiscos alertara os guerreiros Bonsais para as funestas intenções de criaturas como as Heras, as Glicínias e as Damas-da-Noite, em cujo carácter rasteiro e ardiloso não era possível, em boa verdade, confiar.

A floresta, sabemo-lo, esconde por detrás da bonomia, todo um labirinto de armadilhas; por isso, Alice corria perigo.

Entre uns e outros, a tensão era tão evidente que o próprio húmus faiscava de trepidação. Só o olhar implacável das Sequoias parecia impedir o pior. Naquele dia pardacento e frio.

Em compassado suspense, o bosque aguardava por uma revelação.
Então, um grupo afinado de Árvores-Dodô decidiu falar:

Embora Alice pertencesse à espécie humana, desde os primeiros meses de vida que não era considerada como tal. Alguns membros da floresta não hesitavam em tomá-la como um dos seus, tanto devido aos frondosos e erráticos cabelos, que lembravam vagamente a copa dos Plátanos na primavera, como também devido a uma personalidade forte e incorruptível, que parecia nascida da própria madeira do Ulmeiro. Era quase como se Alice tivesse raízes e as árvores gostassem disso, afirmou convencida a petit Dodô.

Assim, até ver, e mesmo sem o consentimento expresso dos humanos, Alice passaria a fazer parte integrante da floresta, tendo sido a sua custódia temporariamente atribuída à grande família das Cássias-Imperiais, afamadas em todo o bosque pelo extremo rigor e infinita paciência que habitualmente lhes tolda a índole aristocrata.


About being gay

4.4.08

Madonna para Franz Ferdinand e CSS ...

Hollywood. De Madonna para Franz Ferdinand e CSS.

31.3.08

Desde que te conheci.

A Sesta (1889-90), Van Gogh


O mundo repousa tão serenamente, que o tumulto das coisas trágicas nunca mais se ouviu.

25.3.08

Aprovada.

Com duas respostas erradas.

22.3.08

Frase da semana :

«O Dalai Lama ameaçar pedir demissão é uma contradição de termos.»

Via Cálssio

20.3.08

A falta que uma lambózia pode fazer às pessoas:

Num liceu do Porto uma estudante recusa-se a dar o telemóvel à professora.

Os colegas filmam a cena.

Para nosso assombro.

19.3.08

Placagem.

A Conchita é, a seguir à Laika, a canita mais corajosa, esperta e destemida de que há memória. Para estar no guiness só lhe falta obter aproveitamento na específica de Português. Por vezes, cá em casa, chamamos-lhe a Senadora negra do Illinois. E rimos a bom rir. No outro dia, porém, assustámo-nos. Levámo-la ao veterinário, como é da praxe duas ou três vezes por ano. A Concha, como é óbvio, detesta o veterinário, e sente-lhe o cheiro a léguas. De maneiras que, levá-la lá é sempre uma grande fita. Mal saímos do carro, a Contchita decidiu fazer um golpe digno de um verdadeiro contorcionista: livrou-se, a um tempo, das duas trelas que trazia (do peitoral e do estrangulador). Bom... o que se seguiu foram minutos de puro desespero. Assustada, desatou a fugir. Estrada fora. Desgovernada. Tivemos mesmo que parar o trânsito abruptamente, a fim de evitar o pior. Recorremos a todos os estratagemas... mas não foi fácil. Cinco biscoitos e uma placagem depois, controlámos a situação. Quando a tivemos segura, as valentes palmadas que lhe demos... mal conseguiram disfarçar a imensa alegria que nos assomou.

Grande pectoral


O António lembrou-se de boa. Esqueci-me porém de lhe dizer que correr na praia para além de essencialmente fazer um peito bonito... também faz verdadeiras maravilhas ao gastrocnémio interno. Por tudo isto, enfim... perdi-me a rir. É bom ter um amigo como o António.

17.3.08

Fight the power, perhaps ?! ...

Há filmes que nos transtornam.

Porque quando menos esperamos, vão ao fundo do fundo do fundo.

Sweeney Seca


Entrei no cinema esperançada, até porque gosto do Tim Burton.
Mas então, ao fim do primeiro minuto, Johnny Depp começou a cantar.
Para não mais calar a goela.

12.3.08

A pequena Grã-Bretanha

Decididamente, o humor britânico é especial. Little Britain não foge à regra e arrisco dizer que se trata de uma das melhores séries cómicas dos últimos tempos. Raras vezes digo isto de um programa de televisão mas... estou viciada. Na maldade de Marjorie Daws, a cruel mentora do programa para obesos fat fighters, na charlatanice de Kenny Craig, o aldrabão hipnotizador da vila, ou no racismo congénito de Mrs. Maggie. Aliás, em Little Britain todos são mais ou menos cruéis, mais ou menos aldrabões, mais ou menos racistas e mais ou menos tarados. Puro nonsense. Nada óbvio. E hilariante. Aqui, ficam três excertos:

Uma senhora de meia-idade dirige-se à esquadra local para tentar identificar o homem que a assaltou. Eis quando, a sua libido inesperada decide falar mais alto:



Marjorie Daws, a cruel e hiper-racista mentora do programa especial de dietas para obesos, apresenta ao grupo um novo membro:



Last but not least, Linda, a ultra-preconceituosa professora de literatura tenta esclarecer uma aluna sobre a data de entrega de um trabalho, não sem antes a elogiar:



Não é de chorar a rir?